segunda-feira, 10 de maio de 2010

Semana de Conscientização: Doença Celíaca

Maio é o mês da doença celíaca no Brasil: Dia 15 de maio foi eleito o dia dos celíacos brasileiros, e vou aproveitar essa “onda” celíaca do momento e utilizar meu blog para divulgar algumas curiosidades que todos deveriam saber sobre a minha doença.

Panorama Geral: Que raios é Doença Celíaca???

Talvez poucos saibam que exista a doença celíaca – eu mesmo não sabia antes de uma amiga desenvolvê-la alguns meses antes de mim. Nunca achei que fosse uma condição de mau-absorção, que pudesse ter tantos sintomas... E que tudo fosse causado por uma única proteína: O Glúten.

Já havia reparado que muitos alimentos tinham a tarja na embalagem, identificando-o como “Gluten Free” ou não, mas NUNCA havia sequer imaginado que existiam pessoas que não podiam comer o tal do glúten.

O Glúten é uma proteína encontrada em alguns grãos – ironicamente, os mais consumidos por nós: Trigo, Aveia, Centeio, Cevada e Malte. Embora a maioria das proteínas seja degradada durante a digestão, o glúten consegue passar ileso pelas proteases e ser absorvido pelo epitélio duodenal, principalmente. Quando absorvida, esta proteína, em uma pessoa normal, é metabolizada pelas células e segue seu caminho normal, sem lesar o organismo.

Algumas pessoas, porém, nascem com a doença ou a desenvolvem durante alguma fase da vida (e esse aparecimento “do nada” pode ocorrer por você comer trigo demais, beber cerveja demais ou mesmo ter uma baixa na imunidade), predispondo o organismo a reagir contra uma proteína que antes não era nada preocupante. Esse “erro” de absorção é chamado de Doença Celíaca.

Na doença celíaca, os pacientes desenvolvem uma resposta imune contra as próprias células do organismo que absorveram o glúten – o que também classifica a doença como auto-imune. A partir de um determinado momento, nosso corpo começa a “enxergar” o glúten como um corpo estranho, produzindo anticorpos, a fim de tentar impedir que a proteína ganhe a circulação sistêmica. Na verdade, essa reação pode ser comparada (não fielmente, mas bem similarmente) a uma reação contra um vírus, por exemplo: O vírus estimula a produção de anticorpos por não pertencer ao organismo. Este, por sua vez, produz a reação na tentativa de conter um patógeno e evitar uma infecção. Essa resposta imune lesa e mata as células que estão em contato com o vírus (que aqui pode ser comparado ao glúten), provocando uma reação inflamatória (na mucosa duodenal, no caso dos celíacos).

Esta inflamação pode, por sua vez, atrofiar as microvilosidades do intestino (que auxiliam na absorção de nutrientes) e interferir com a absorção de qualquer outro nutriente, podendo resultar nos sintomas gerais: Dor abdominal, diarréia, gases, estufamento, estiramento abdominal, anemia, fraqueza, desânimo... E por aí vai.

Chamar a doença celíaca de “alergia ao glúten” é um equívoco, pois, imunologicamente, alergias são todas as reações mediadas por anticorpos da classe IgE, enquanto na doença celíaca, a resposta contra as células é mediada por anticorpos IgA e IgG.

Outro equívoco é igualar doença celíaca à intolerância ao glúten. Intolerância alimentar se deve ao fato de você não conseguir absorver determinado alimento, por não possuir proteínas essenciais para tal processo, como é o caso da intolerância à lactose, fazendo com que o alimento se acumule na luz intestinal, sem ser absorvido, o que pode levar a quadros de diarréias e gases.

Portanto, existem: Doença celíaca, intolerância ao glúten e alergia ao glúten: As três estão relacionadas com a mesma proteína, mas não são a mesma coisa.

[Continua...]

Um comentário:

  1. Heloisa!Boa postagem....to até pensando em criar um blog para escrever tb...
    ah..dia 15, diado celíaco é meu níver!qualquer semelhança é mera coincidencia!kkk

    bjos

    ResponderExcluir