quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Discriminação?



Acabo de ler (e ver) esta notícia, e achei uma idéia genial. E achei mais “genial” ainda ver como tem sempre alguém que interpreta errado as coisas que seriam para acabar com as desavenças.

Para quem está com preguiça de ver a notícia, ela mostra que a escola de samba “Unidos da Tijuca”, do Rio, criou um banheiro para homossexuais, transformistas e bissexuais. Há alguns depoimentos de homossexuais dizendo que é um alívio para eles, pois eles sempre eram mal vistos nos banheiros para o sexo físico deles (feminino ou masculino), e esse banheiro “unissex” resolveria o problema de discriminação.

Aí, continuando a reportagem, mostra um outro homossexual que acha que esse tipo de banheiro é pura discriminação, porque homossexuais e heterossexuais deveriam usar o mesmo banheiro. E eu fiquei pensando: Alguém disse que homossexual tem que, obrigatoriamente, usar o “Banheiro Arco Íris (Assim intitulado por uma outra escola de samba)”? 

Analisando essas duas opiniões, eu me perguntei: Onde mora o preconceito das pessoas? O preconceito está naquele que vê um homossexual no mesmo banheiro que ele e se sente ofendido por dividir o “mijódromo” com alguém que gosta de pessoas do mesmo sexo, ou o preconceito está na mente do homossexual que viu um banheiro (cujos objetivos eram acabar com a discriminação) como uma forma descarada de “legalizar” o preconceito?

Entendam, eu não defendo a criação de banheiros GLS pelo mundo a fora, mas achei a idéia muito interessante, porque partiu de um grupo de homossexuais que eram ofendidos e “bulinados” quando usavam o banheiro para o sexo físico da pessoa.

Achei interessante a idéia porque sei que o ser humano diz não ter preconceito a homossexuais até ser “cantado” por um. E enquanto as pessoas não souberem respeitar as diferenças e opções de cada um, não adianta nada se dizer bonzinho e mente aberta, mas olhar com desprezo para um Drag Queen que entra no banheiro masculino, abaixa as calças e usa o mictório como todos os outros homens ali dentro.

É um furdunço desnecessário. Os gays que se sentirem à vontade a continuarem usando o banheiro masculino, que usem! – não vai ter uma catraca que pisca uma luz “Gay DETECTED” cada vez que um homossexual cruzar a porta. Os gays que ficaram feliz com a idéia, que usem o banheiro GLS.

Não acho que a discriminação esteja implícita somente porque homossexuais, transsexuais e afins irão freqüentar um banheiro diferente. A discriminação está implícita na mente de quem fica achando que essas besteiras são problemas de uma sociedade doente e homofóbica. É um complexo de inferioridade achar que todo e qualquer ser humano que os olham, pensem “Nossa! Você é Gay!”, ou que tudo e qualquer motivo, piada ou mau humor tem sua origem num preconceito que às vezes sequer existe.

Acorda pra vida, povo!

3 comentários:

  1. Também achei a ideia super bacana por ter partido de um grupo de homossexuais que não se sentiam à vontade em banheiros comuns. Sempre tem alguém que olha torto mesmo. A verdade é essa. E sempre tem alguém que se atira a tirar conclusões procipitadas e se sentir injustiçado sem nem mesmo entender a causa. Ser humano é fogo!

    ResponderExcluir
  2. O banheiro 'colorido', se foi ideia de um grupo de pessoas que se sentiam desrespeitadas nos wc's que existiam antes, deve estar lá, sim. É uma conquista deles.

    O que seria insano era a obrigatoriedade de usá-lo. Seria a terrível formaçao de guetos (parte 5.000). Ué, o importante é que haja opções e cada um usa o que o faz se sentir melhor...

    Se puder, visite o meu Pote:

    http://potedepalavras.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Achei legal a idéia. Ninguém precisa usar aquele banheiro, se não quiser. Que frescura.

    ResponderExcluir