sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Ídolos


Há anos que não tenho ídolos e me desinteresso pela vida pessoal dos artistas de que gosto. Acho que meus únicos “amores” loucos foram os Backstreet Boys, quando eu ainda era criança/adolescente, e isso faz mais de 10 anos.

Hoje, não costumo saber mais sobre a vida dos cantores/atores/músicos que admiro. Sei quem são, sei seus nomes, mas só. Costumo saber de suas obras, seus trabalhos - são essas coisas que me atraem... Mas não me perguntem data de nascimento, cidade natal ou cor preferida, porque vou te olhar e dizer: Pra que saber?

Talvez ter consciência da distância real entre mim e um astro me fez entender que se apegar demais às características da pessoa pode te levar a uma paixão solitária. Eu sinto prazer em conhecer as pessoas conversando com elas, mas hoje já não vejo mais a graça de saber tudo sobre alguém apenas por ler o que diz sua biografia. Além disso, acredito que um artista também não deva se sentir muito confortável em encontrar uma pessoa e descobrir que ela sabe mais de sua vida do que ele mesmo diria em uma conversa casual.

Não estou criticando o fanatismo, veja bem. Estou aqui dizendo como eu me sinto em relação às pessoas de que cujo trabalho eu gosto...

Eu adoro Família Lima, mas não faço idéia de quantos anos tenham cada um dos rapazes;

Eu adoro Vivaldi, amo as quatro estações, mas não sei nada de sua vida;

Sou louca por musicais, e acompanho "os passos teatrais" dos grandes nomes dos musicais brasileiros, como Saulo Vasconcelos, Sara Sarres e Kiara Sasso, mas se você me perguntar - "São casados?" - eu vou responder que não faço a mínima idéia.


Eu admiro muito o trabalho de muita gente nessa vida. Admiro as pessoas com dons musicais, admiro as pessoas com dons teatrais e admiro as pessoas com dons fraternais, mas essa admiração não se expande à vida pessoal de cada um desses meus ídolos. Eu conheço o trabalho deles, mas a vida pessoal, por mais que existam fãs, biografias, entrevistas e rumores, eu só sentirei prazer em conhecer da forma natural, pessoalmente, sem elevá-los a um nível de superioridade e importância, mas sim tendo plena consciência de que são seres humanos normais, como qualquer um de nós.

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Discriminação?



Acabo de ler (e ver) esta notícia, e achei uma idéia genial. E achei mais “genial” ainda ver como tem sempre alguém que interpreta errado as coisas que seriam para acabar com as desavenças.

Para quem está com preguiça de ver a notícia, ela mostra que a escola de samba “Unidos da Tijuca”, do Rio, criou um banheiro para homossexuais, transformistas e bissexuais. Há alguns depoimentos de homossexuais dizendo que é um alívio para eles, pois eles sempre eram mal vistos nos banheiros para o sexo físico deles (feminino ou masculino), e esse banheiro “unissex” resolveria o problema de discriminação.

Aí, continuando a reportagem, mostra um outro homossexual que acha que esse tipo de banheiro é pura discriminação, porque homossexuais e heterossexuais deveriam usar o mesmo banheiro. E eu fiquei pensando: Alguém disse que homossexual tem que, obrigatoriamente, usar o “Banheiro Arco Íris (Assim intitulado por uma outra escola de samba)”? 

Analisando essas duas opiniões, eu me perguntei: Onde mora o preconceito das pessoas? O preconceito está naquele que vê um homossexual no mesmo banheiro que ele e se sente ofendido por dividir o “mijódromo” com alguém que gosta de pessoas do mesmo sexo, ou o preconceito está na mente do homossexual que viu um banheiro (cujos objetivos eram acabar com a discriminação) como uma forma descarada de “legalizar” o preconceito?

Entendam, eu não defendo a criação de banheiros GLS pelo mundo a fora, mas achei a idéia muito interessante, porque partiu de um grupo de homossexuais que eram ofendidos e “bulinados” quando usavam o banheiro para o sexo físico da pessoa.

Achei interessante a idéia porque sei que o ser humano diz não ter preconceito a homossexuais até ser “cantado” por um. E enquanto as pessoas não souberem respeitar as diferenças e opções de cada um, não adianta nada se dizer bonzinho e mente aberta, mas olhar com desprezo para um Drag Queen que entra no banheiro masculino, abaixa as calças e usa o mictório como todos os outros homens ali dentro.

É um furdunço desnecessário. Os gays que se sentirem à vontade a continuarem usando o banheiro masculino, que usem! – não vai ter uma catraca que pisca uma luz “Gay DETECTED” cada vez que um homossexual cruzar a porta. Os gays que ficaram feliz com a idéia, que usem o banheiro GLS.

Não acho que a discriminação esteja implícita somente porque homossexuais, transsexuais e afins irão freqüentar um banheiro diferente. A discriminação está implícita na mente de quem fica achando que essas besteiras são problemas de uma sociedade doente e homofóbica. É um complexo de inferioridade achar que todo e qualquer ser humano que os olham, pensem “Nossa! Você é Gay!”, ou que tudo e qualquer motivo, piada ou mau humor tem sua origem num preconceito que às vezes sequer existe.

Acorda pra vida, povo!

domingo, 2 de janeiro de 2011

Em 2011, eu...



Vamos lá! 

Vou fazer aqui uma lista de pequenas metas que pretendo cumprir em 2011, porque tenho a tendência de fraquejar quando encontro outras coisas para fazer.

Obviamente, não constam como metas as obrigações acadêmicas, como fazer relatórios finais e parciais, nem obrigações domésticas... rs

Meta nº 01:
* Voltar para a academia. Se tenho tempo livre, por que ser sedentária?!

Meta nº 02:
* Ler meus 13 livros que ganhei até o fim do ano (normalmente eu os leria em uns 2 meses, mas tem relatórios pra fazer e tal... Então tenho que ler até o fim do ano! rs)

Meta nº 03:
* Ir ver Mamma Mia!

Meta nº 04:
* Estudar para uma possível prova de especialização (dúvidas e mais dúvidas na mente de uma quase ex-universitária)

Meta nº 05:
* Ir para o exterior. Como troquei minha formatura por uma viagem de um mês no exterior, pretendo realizá-la esse ano ainda.

Meta nº 06:
* Comprar um Wii. Entendam, eu nunca comprei um videogame só para mim, e sonho em ter um Wii desde que joguei um. Mas essa meta eu só vou realizar SE conseguir uma bolsa Fapesp.

Meta nº 07:
* Tomar coragem para voltar a comer glúten e fazer uma biópsia de duodeno pra ver se realmente sou celíaca ou se minha intolerância ao glúten não é autoimune.

Meta nº 08:
* Começar a ver os filmes da minha lista de "1001 filmes para se ver antes de morrer"

Meta nº 09:
* Comprar o livro dos 1001 livros para se ler antes de morrer e começar a montar a biblioteca!!

Meta nº 10:
* Ter coragem para realizar todas as metas acima! (reforço nunca é demais! rs)

Pronto! My bucket list is ready! rs

Eu farei um post de cada uma que conseguir cumprir rs

Abraços e abraços. Divirtam-se nesse ano!