segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

A decadência do jornalismo Brasileiro


Torcedores invadindo o campo, em cima de ônibus, depredando aeroportos, ruas da cidade, tomando marginais e rodovias, pulando entre os carros e passando por cima de ônibus e caminhões. Falo agora do time preto e branco, porque foi o time que ganhou ontem, mas sim, generalizo para qualquer time, seja verde, seja tricolor, seja da cor que for! – Todos os torcedores  fanáticos são inconsequentes assim.

Essa permissividade brasileira em conceder qualquer direito a qualquer coisa relacionada a futebol se tornou ridícula: A polícia não faz nada, e a gente não sabe se é por medo, porque gostariam de estar comemorando junto ou se por falta de contingente. A mídia divulga os atos de vandalismo como se fossem permitidos, corretos e justos porque um time de futebol ganhou um título.

Brasil, o país sem lei, não iria fazer alguma coisa justamente agora, contra torcedores “sofredores” (coitados!!), que esperaram mais de cem anos por esse título.

As reportagens (massivas, abusivas, repetitivas, enjoativas!) são narradas por jornalistas que se passam por idiotas ao salientar em voz a felicidade em ver um torcedor agindo como um animal – porque pode! No futebol, nesse país absurdo, tudo pode!

E pior: Se algum torcedor morrer durante seus atos de vandalismo e/ou de depredação de patrimônio público, COITADO do motorista que cometer a infração – que será espalhada pela mídia como “crime hediondo” contra um pobre torcedor que estava em um momento de pura embriaguez, mas feliz.

Essa mídia populista, que se aproveita de um time com grande torcida para ganhar ibope, essa mídia cujo dever seria conscientizar o povo sobre as leis, mas só sabe ressaltar crimes com interesse nacional, sensacionalizados pelas câmeras e TV’s... Essa mídia podre e hipócrita desse país que lutou tanto pelo direito de liberdade, mas usa a liberdade para só publicar porcaria. A mídia que perdeu o dever com a seriedade. Mídia suja, oportunista.

Nessas horas você enxerga claramente como uma emissora se perdeu diante do populismo, como deixou de lado o jornalismo sério para voltar sua transmissão ao foco que lhe convenha. Você nota como não há mais uma linha séria de jornalismo, e somente um jornalismo voltado às massas, voltado aonde tiver público. Não é mais o público que segue a mídia, é o jornalismo que segue o público, independentemente do caminho sujo que tenha que tomar.

Mas... o que esperar do jornalismo de um país sem lei como o nosso?

Nenhum comentário:

Postar um comentário